O luto transformado em 160 hectares de girassóis

02 _ Don Jaquish e  Babbette Jaquish

No ano passado, Don Jaquish perdeu sua esposa, Babbette, depois que ela lutou nove anos contra um câncer. A maneira como ele elaborou seu luto foi muito além do que a maioria das pessoas consegue fazer, já que fomos ensinados que a dor da perda é algo que devemos esconder e viver em uma semana, sendo este o prazo máximo que nos dão para nos afastar das nossas “atividades normais”. Don, ao contrário, plantou 160 hectares de girassóis, a planta preferida de sua companheira.

Babbette era conhecida na sua pequena comunidade no Wisconsin (EUA) como “Sunflower Lady”, algo parecido com “Senhora Girassol” tamanho seu fascínio pela flor. A relação que seu esposo passou a ter com a planta, obviamente, também mudou, já que esta passou a significar a presença e a lembrança de Babbette.

01 _ Don Jaquish e  Babbette Jaquish

Tomado por este sentimento, Don decidiu alugar algumas terras e começou, em julho deste ano, a plantar sementes da planta. Agora elas desabrocharam e ele resolveu que irá vender as sementes em um projeto chamado de Babbette’s Seeds of Hope (“As sementes de esperança da Babbette”). A grana arrecadada será encaminhada para hospitais, experiências clínicas e programas de conscientização de pacientes com câncer.

Inicialmente, a expectativa de vida que os médicos deram a Babbette foi algo entre duas semanas e dois meses. Ela, porém, foi em busca de novos tratamentos e pesquisas e conseguiu lutar contra a doença entre 2006 e 2014. Para ela o câncer não era algo a ser lamentado, mas a ser vivido e enfrentado com altivez.

06 _ Don Jaquish e  Babbette Jaquish

07 _ Don Jaquish e  Babbette Jaquish

Agora, a flor que representa a perseverança de Babbette se torna, pelas mãos de Don, o símbolo da luta de milhares de pessoas que buscam esperança na cura para a doença. O luto da forma como ele o trabalhou, dá novo significado à morte da esposa.

Quantas pessoas serão beneficiadas, ao menos emocionalmente, por este projeto? Nunca saberemos, mas o certo é que o nosso modelo social nos inibe e nos impede de trabalhar nossas dores. Nem sempre, mas às vezes, delas surgem coisas fantásticas que podem dar novos significados às nossas vidas, como neste caso.

Enquanto escondermos nosso sofrimento e não lutarmos pelo nosso direito de viver a dor, muitos projetos lindos como os de Don e Babbette podem nunca nascerem e tudo o que eles precisam é de um pouco de tempo para florescerem.

03 _ Don Jaquish e  Babbette Jaquish

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s